Ballet Pilates para as partes íntimas

Pauta: Pilates para as partes íntimas

Uma mistura da leveza do ballet com a força do pilates. O resultado é uma aula totalmente dedicada ao publico feminino que promete também fortalecer a região pélvica

Pelo aumento da frequência cardíaca estimulado pela música acelerada que ajuda a compor a modalidade, na maior parte da aula – em torno de 45 minutos – os movimentos são realizados em pé. “Nessa posição, é preciso ter estabilização da pélvis e cintura escapular, já que os exercícios exigem o acionamento da musculatura mais profunda e utilizam mais do que 70% da musculatura total do corpo“, diz Audrea Lara, idealizadora do BalletPilates e pioneira em trazer esse tipo de modalidade para o Brasil.

Nos passos mais clássicos do ballet como elevés, pliés e movimentos de quadril, a pelve produz naturalmente uma união de forças opostas – para baixo e para cima. “Há ainda um estímulo na posição o quadril, que fica reto, facilitando o fluxo sanguíneo na região“, comenta Audrea acrescentando que “além de fortalecer a musculatura abdominal, reto e obliqua, também fortalecem a musculatura do assoalho pélvico, melhora a sustentação dos órgãos internos, e o desempenho sexual“.

FONTE: Audrea Lara

Formada pela USP, Audrea Lara foi certificada em pilates nos Estados Unidos pela professora Romana Kryzanowska, herdeira direta de Joseph Pilates. Audrea participou de diversas pesquisas sobre nutrição, aprendizagem motora, ginástica postural e avaliação e condicionamento para adultos e pessoas da terceira idade. Ministra cursos sobre reestruturação corporal e participou, como co-autora, do livro “Enxaqueca, Alívio Para o Sofrimento”, no qual ensina a aliviar a dor por meio de exercícios que melhoram a postura.

 

 




WhatsApp chat